sábado, 17 de abril de 2010

Varíola (Asperisporium caricae) do mamoeiro (Carica papaya)

Autor: Vanone Assunção Neto

A varíola é a doença mais comum do mamoeiro. Largamente disseminada em são paulo, dificilmente se vê um mamoeiro, mesmo em cultura de fundo de quintal, que não apresenta seus sintomas. Por sua alta freqüência e pelos danos que pode ocasionar á cultura, particularmente diminuindo o valor comercial do fruto, constitui atualmente uma das suas mais importantes doenças. A varíola já foi descrita, além do Brasil nos Estados Unidos (flórida), Cuba, Bermudas, Colômbia, Argentina, Venezuela, Equador, Salvador e Bolívia.

SINTOMATOLOGIA


Os sintomas da varíola são do tipo necrótico e se manifestam tanto nas folhas como nos frutos.Nas folhas se caracterizam por manchas pequenas,geralmente menores do que 3 a 4 mm de diâmetro,de comformação mais ou menos circular,de coloração pardo-clara,circundadas por um halo amarelado.Na página inferior da folha,correspondendo á lesão,o fungo desenvolve frutificações pulverulentas,escuras,dispostas segundo círculos mais ou menos concêntricos,que dão á mancha um aspecto cinzento a preto.A incidência muito severa nas folhas afeta o desenvolvimento e a vitalidade das plantas,principalmente quando novas.Nos frutos novos os sintomas se apresentam inicilamente como áreas circulares apresentando encharcamento dos tecidos,o centro dos quais frequentemente mostra um ponto esbranquiçado.Com o decorrer do tempo as manchas tornam-se salintes e de cor marrom,tomando o aspecto de pústulas semelhantes ás da folha e que lembram as pústulas da varíola humana,donde o nome da doença.A medida em que os frutos se desenvolvem,desenvolvem-se também as manchas,as quais se apresentam com cor escura,chegando a atingir um diÂmetro de meio centímetro.Em comdições favoráveis ao patógeno este esporula sobre as manchas dos frutos.Essas manchas se limitam ás camadas mais externas do fruto,causando o endurecimento da casca na parte afetada e não atigindo a polpa.Entretanto,devido ao mau aspecto conferido,desvaloriza o produto no mercado.

ETIOLOGIA


O agente causal da varíola é o fungo imperfeito Asperisporium caricae.Apresenta estroma subepidérmico que irrompe através da epiderme e produz conidióforos curtos em feixe.Os conídios são curtos,equinulados e bicelulados.A fase perfeita de Asperisporium caricae é relatada ser Mycosphaerella caricae.Mas não há,na literatura,uma prova conclusiva desse fato.A grande freqüência com que a doença é encontrada no campo sugere que o fungo não tem problemas de sobrevivência,provavelmente porque o mamoeiro apresenta folhas suscetíveis durante todo o ano,e também sugere que os esporos são facilmente disseminados pelo vento a longas distãncias.Dentro do campo os respingos de chuva e a água de orvalho devem ter papel importante na disseminação.Quanto ás condições ambientais favoráveis nada se encontra na literatura mas ,como em outras doenças causadas por fungos ,a umidade deve ter um papel importante na infecção .Como se pode ver,essa doença,como de resto todas as doenças do mamoeiro ,está por merecer maior atenção dos pasquisadores.

CONTROLE

Dada a freqüência do aparecimento da doença na cultura do mamoeiro,devem se tomar medidas de proteção,segundo um programa pré-estabelecido de pulverização de fungicidas.Destes,os mais eficientes são os tiocarbamatos que são também eficientes no controle da antracnose.Pode-se usar o maneb ou o zineb e deve-se iniciar o tratamento na época de maior frutificação,pois a pulverização dos frutos pode resultar na formação de frutos manchados.As manchas não podem ser removidas dos frutos com cascas tenra sem causar injúrias aos mesmos e a presença de resíduos de fungicidas nos frutos pode influenciar o valor econômico dos mesmos.Medidas complementares de controle,tal como eliminação de folhas afetadas,tanto da planta como no chão,são de pequeno alcance e pouco práticas.


REFERÊNCIAS

REZENDE, J. A. M; MARTINS, M. C. Doenças do mamoeiro-carica papaya in: KIMATI, H; AMORIM, L.; REZENDE, J. A. M.; BERGAMIN FILHO A.; CAMARGO, L.E .A. Manual de Fitopatologia-Doenças das Plantas cultivadas-volume II. Editora agronômica ceres,são paulo,2005


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores

Postagens populares da Ultima Semana