quinta-feira, 1 de julho de 2010

“ASPECTOS GERAIS E MORFOLÓGICOS DO FUNGO Oidium sp.”

“ASPECTOS GERAIS E MORFOLÓGICOS DO FUNGO Oidium sp.”


autor:Saldanha Bortolott

1. Introdução:
Oídio, - Oidium lycopersici Cooke & Massee 1888.
Caracteriza-se por apresentar conídios elípticos e hialinos crescendo em cadeia sobre conidióforos curtos, não ramificados, produzindo em micélio e de órgãos de frutificação assexuada do fungo. O fungo não cresce em meio de cultura, é uma doença que, apesar de ocorrer com certa freqüência em anos de inverno muito seco, muito raramente se constitui em problema serio. O fungo agente causal ataca todos os órgãos verdes da planta aparecendo com maior freqüência nos ramos, pecíolos e folíolos, onde desenvolve um crescimento branco, característico da doença, constituído de micélio e de órgãos de frutificação assexuada do fungo.( Tokeshi,H e Carvalho,P.C.T, etal, São Paulo, SP, 1980).
Produz necrose dos tecidos do hospedeiro onde as manchas, a princípio arredondas, crescem acompanhando o desenvolvimento do fungo e assumem formas as mais variadas, não causa doenças em humanos. Existem Varias espécies de Oidium, umas delas sao.; Oidium taurica, Oidium lycopersici etc. A doença sem muito importância, por que pode ser controlada facilmente com fungicidas registrados para o controle de Oídio. Produtos com base de enxofre e benomyl estão entre os recomendados. (Tokeshi,H e Carvalho,P.C.T, etal, São Paulo, SP, 1980).







2. Matérias e métodos:
Folhas de tomate foram coletadas no campus do Instituto Federal Goiano, sendo analisadas no Laboratório de Microbiologia.
Utilizando o método de “pescagem direta”, com uma pinça em formato de agulha, foi possível visualizá-los e através de um microscópio estereoscópio preparou-se a lâmina .
Nesta lâmina foi depositado uma gotas de corante azul-de-algodão (ácido acético, ácido lático, glicerina e água),. Próximo passo foi depositar uma lamínula sobre a lâmina.
As lâminas preparadas foram analisadas utilizando microscópio ótico onde foram tiradas fotos com a máquina digital Canon® Power Shot A580.


Foi feita uma prancha com as fotos para poderem ser identificados e explicados descritos.
3. RESULTADOS E DISCUSSÃO Figura 1. Aspectos morfológicos de Oidíum lycopersici sp. A. folha do tomateiro apresentado sintoma. B. sinais fúngicos de aparência branca e pulverulenta C. apresenta conídios elípticos, hialinos, D. conídio, elíptico e hialino. E o tamanho do conídio (bar=56,7μm)
Descrição Micológica: caracteriza - se por apresentar conídios elípticos, hialinos, multiplicando-se em cadeia sobre conidióforos curtos, não ramificados, produzidos através de micélio ectofítico e superficial. A absorção dos nutrientes do hospedeiro é feita através de haustórios, emitidos pelas hifas septadas e bastante ramificadas. Os conidióforos assexual e hialinos. As características da fase assexual coincidem com as descritas por SACCARDO para Oidium lycopersicum Cook et Mass.




4. REFERERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:
INDEX FUNGORIUM disponível em: acessado em 28/06/2010.
Kurozawa, C e pavan, M.A. Doenças do Tomateiro - Lycopersicon esculentum. In: Kimati, H. , Amorin, L. , Rezende, J.A.M , Bergamin Filho , A. , Camargo, L.E.A , Manual de Fitopatologia, Volume 2 - Volume 2 - Doenças das plantas cultivadas. Editora Agronômica ceres, Sao Paulo, SP,2005.
Shin,H.D, Erysiphaceae OF Korea,National Institute of Agricultural Science and technology, Suwon, Korea, 2000.
Tokeshi, H e Carvalho, P. C. T. Doenças do tomateiro - Lycopersicon esculentum Mill. In: Galli, F Carvalho, P.C.T, Tokeshi, H. Balmer, E, Kimati, H, Cardoso, C.O.N, Balgado, C.L., Krugner, T.L, Cardoso, E.J.B.N., Berganmin Filho, A, . Manual de Fitopatologia, Volume 2 - Doenças das plantas cultivadas. Editora Agronômica ceres, Sao Paulo, SP, 1980

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores

Postagens populares da Ultima Semana