terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

PATOGENICIDADE DE Lasiodiplodia theobromae EM FRUTOS DE MAMÃO.

Erica C. Santos, Sales, Thais T., André Pegorin, Paz Lima, Milton L.

O mamão (Carica papaya L. - Caricaceae) é originário do Sul do México, sua baga frutífera é muito consumida na forma de sucos, saladas, geléias, doces, dentre outros. Este trabalho teve como objetivo avaliar a patogenicidade e agressividade de Lasiodiplodia theobromae sobre frutos de mamão. Coletou-se amostras de mamão, da Asa Norte, DF, apresentando sintomas de podridão de frutos. Foram levados ao Laboratório de Botânica da Faculdade JK - Anhanguera onde preparou-se lâminas semi-permanentes para identificação do agente etiológico. Os sinais presentes nas lesões através do método de pescagem, foram transferidos para meio de cultura batata-dextrose-ágar (BDA). Preliminarmente, utilizando literatura adequada (Sutton, 1980), identificou-se o fungo como sendo L. theobromae. Discos de micélio de colônia pura foram inoculados na região central de frutos de mamões maduros, previamente feridos. Utilizou-se 2 tratamentos (cultivares de mamão “Papaia” e “Carioca”) e três repetições totalizando seis unidades experimentais. Os frutos inoculados permaneceram sob condições de câmara úmida durante um período de seis dias. O isolados foram patogênicos a ambas as cultivares. Ocorreu reação diferencial do isolado nas cultivares estudadas, pois foi mais agressivo em frutos de mamão “Papaia” do que mamão “Carioca” aos sete dias de avaliação. A cultivar “Papaia” onde o isolado foi obtido originalmente teve menor quantidade de tecido afetado. Taxa de crescimento em mamão “Papaia” foi de 2,02 cm.dia-1, quanto que para mamão “Carioca” foi de 1,19 cm.dia-1. A doença já foi registrada no Brasil por Nakamura & Ruggiero (1981) em São Paulo, e por Queiroz et al. (1997) no Estado de Alagoas. Este é o primeiro registro de ocorrência da doença no Distrito Federal e o primeiro relato de reação diferencial em diferentes cultivares de mamoeiro.


Trabalho Apresentado no Congresso Brasileiro de Fitopatologia, Rio de Janeiro, RJ, 2009.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores

Postagens populares da Ultima Semana