sábado, 21 de agosto de 2010

Reação de acessos de feijoeiro a mucha-de-esclerócium (Sclerotium rolfsii)


1SALES, A.M.,2PAZ LIMA, M.L.
1Universidade Estadual de Goiás campus Ipameri, CEP 75780-000, Ipameri, GO, 2Instituto Federal Goiano campus Urutaí, CEP 75790-000, Urutaí, GO.

O objetivo deste trabalho é avaliar a reação de resistência de acessos de feijão a murcha-de-esclerócio. Foram analisados 50 acessos de feijão semeados no mês de janeiro de 2010 na área experimental do IFGoiano. O experimento foi composto de 50 tratamentos, três repetições, sendo cada repetição composta de quatro linhas de cultivo, num delineamento inteiramente casualisado. O inoculo estava presente na área naturalmente. As avaliações foram realizadas inicialmente a 49 dap. Foi atribuído a cada repetição uma nota de 0-5 que representava a porcentagem de plantas mortas nas quatro linhas de cultivo. Utilizou-se o procedimento “proc fasclus”, utilizando a medida de similaridade UPGMA para categorização dos genótipos. No experimento também foi verificar elevada incidência de mancha angular, cercosporiose e o mosaico dourado. Cinqüenta % dos genótipos apresentaram reação do tipo resistente, 38 % como reação intermediária e os demais não se enquadraram na reação do tipo suscetível. A reação de imunidade foi observada para repetições dos acessos F09VCP079-9, F09VCP079-8, F09VCP079-7 e F09VCP079-12. A identificação desses acessos representa uma importante informação para obtenção de cultivares resistentes em programas de melhoramento.

Trabalho Apresentado no 43o. Congresso Brasileiro de Fitopatologia: sales, m.l., PAZ LIMA, M.L. Reação de acessos de feijoeiro a murcha-de-esclerócium (Sclerotium rolfsii). Tropical Plant Pathology 35(suplemento):s150. 2010

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores

Postagens populares da Ultima Semana